No Centro de Saúde Escola (CSE), localizado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Universidade do Estado do Pará (Uepa), a fila logo cedo ainda estava pequena no primeiro dia de campanha contra o vírus papiloma humano (VPH) ou HPV, do inglês human papiloma vírus.  FOTO: RENAN VIANA/ASCOM UEPA
DATA: 10.03.2014
BELÉM - PARÁ

Secretaria de João Pessoa amplia faixa etária da população que pode ser vacinada contra HPV

Por Edmilson Pereira - em 50 segundos atrás 1

A Secretaria de João Pessoa ampliou a faixa etária de vacinação que protege contra o HPV que agora pode ser aplicada para população de 15 a 45 anos que faz uso da Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), sendo incluído no grupo prioritário para prevenção. A medida visa a prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e cânceres causados pelo papilomavírus.

O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é responsável pela infecção sexualmente transmissível mais frequente no mundo e está associado a verrugas genitais e ao desenvolvimento de câncer de colo do útero, vulva, pênis, ânus e orofaringe. A transmissão usualmente se dá pela via sexual. O HPV também pode ser transmitido através do contato direto com pele ou mucosa infectada, podendo assim, ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal.

Majoritariamente, a infecção tem resolução espontânea em 1 a 2 anos após a exposição. A infecção persistente pode evoluir para as neoplasias relacionadas ao HPV. Dentre os 12 genótipos oncogênicos descritos, os tipos 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero e por mais da metade dos casos de outros cânceres relacionados ao HPV, enquanto os tipos 6 e 11 são responsáveis por cerca de 90% dos casos de verrugas genitais. A infecção por um determinado tipo viral não impede a infecção por outros tipos de HPV, podendo ocorrer infecção múltipla.

“Orientamos que, para relações sexuais, o uso de preservativo é o método mais seguro para prevenir o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, assim como o HPV, a sífilis, gonorreia e alguns tipos de hepatites, além de evitar também uma gravidez não planejada”, orientou Fernando Virgolino, chefe da Seção de Imunização da Prefeitura de João Pessoa.

Atualmente, a vacina HPV quadrivalente (HPV4), que confere a proteção contra os tipos 6, 11, 16 e 18, prevenindo as principais complicações da doença, também está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), em todas as salas de vacinas da rede municipal, para o seguinte público: Crianças e adolescentes com idade entre 9 e 14 anos, no esquema de dose única. Indivíduos imunocomprometidos dos 9 aos 45 anos (pessoas vivendo com HIV e Aids PVHA, pacientes oncológicos e transplantados), com esquema de três doses independentemente da idade, aplicadas aos 0 – 2 – 6 meses (Segunda dose dois meses após a primeira e terceira 6 meses após a primeira dose).

Pessoas de 15 a 45 anos de idade imunocompetentes vítimas de violência sexual: com esquema de duas doses para os de 9 a 14 anos (0-6 meses) e três doses para os de 15 a 45 anos, aplicadas aos 0 – 2 – 6 meses (Segunda dose dois meses após a primeira e terceira 6 meses após a primeira dose).

A vacina HPV é contraindicada para gestantes, devendo-se, nesses casos, aguardar o puerpério para a imunização. Além disso, a vacina de HPV também é contraindicada para qualquer pessoa com alergia a algum dos componentes desse imunobiológico. “Pessoas em PrEP já vacinadas com esquema completo conforme preconizados para determinadas faixas etárias ou situações especiais, não deverão ser vacinadas novamente com qualquer dose. No caso de pessoas em PrEP previamente vacinadas, mas com esquema incompleto, deverão completar as três doses”, completou o coordenador.

Dados – No Brasil, a prevalência de papilomavírus humano foi avaliada pelo Estudo Epidemiológico sobre Prevalência Nacional HPV (POP- Brasil), que incluiu homens e mulheres entre 16 e 25 anos sexualmente ativos. O quantitativo geral de HPV foi de 53,6%, sendo 35,2% com, no mínimo, um dos genótipos de alto risco. Dos entrevistados, 50,7% afirmou usar preservativos rotineiramente e 12,7% relataram a presença de uma IST prévia.

Atualização da caderneta – Crianças, adolescentes, adultos e idosos devem manter o documento de vacinação em dia. Quem está com a caderneta de vacinação desatualizada coloca em risco não apenas a própria saúde, mas também pode se tornar um transmissor de doenças, em especial para as crianças e idosos, que são grupos mais vulneráveis. É com esse alerta que a Prefeitura de João Pessoa convoca toda a população para buscar um serviço de saúde mais próximo e colocar em dia a vacinação.

Documentação – Para vacinação é importante apresentar um documento oficial com foto ou registro da criança ou adolescente, o Cartão do SUS e o cartão ou caderneta de vacina.

Locais de vacinação em João Pessoa nesta quarta-feira (10):

Unidades de Saúde da Família (USFs)
Vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza) e do Calendário de Rotina
Horário: 7h às 11h e das 12h às 16h (de segunda a sexta-feira)
*exceção: Alto do Céu II, Cidade Verde e Jardim Planalto.

Policlínicas Municipais
Vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza) e do Calendário de Rotina
Horário: 8h às 16h (de segunda a sexta-feira)

Centro Municipal de Imunização
Vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza) e do Calendário de Rotina
Horário: 8h às 16h (de segunda a sexta-feira)
8h às 12h (sábado, domingo e feriado – apenas para vacinação de urgência)

Home Center Ferreira Costa
Apenas as vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza)
Horário: 12h às 21h (de segunda a sexta-feira)
8h às 16h (sábado)

Shopping Sul
Apenas as vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza)
Horário: 12h às 21h (de segunda a sexta-feira)
10h às 16h (sábado)

Shopping Tambiá
Apenas as vacinas de Campanha (Dengue, Covid-19 e Influenza)
Horário: 12h às 20h (de segunda a sexta-feira)
9h às 16h (sábado)

Vacinação Domiciliar
Agendamento: (83) 98645-7727 – (Apenas whatsapp)
Horário: 8h às 16h (de segunda a sexta-feira)

Foto: Secom-JP