Covid-19: Número de casos da doença cresceu quase 800% em Pernambuco em menos de um mês; Saúde da PB recomenda uma nova dose da vacina bivalente

Covid-19: Número de casos da doença cresceu quase 800% em Pernambuco em menos de um mês; Saúde da PB recomenda uma nova dose da vacina bivalente

Por Edmilson Pereira - em 4 meses atrás 350

O número de casos de Covid-19 em Pernambuco cresceu quase 800% em novembro. Segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), a quantidade de diagnósticos positivos para a infecção passou de 89 para 776 entre a última semana de outubro e os primeiros dias de dezembro. Os registros indicam ainda que a cobertura da vacina bivalente é de 13% .

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco, 97% das notificações são de casos leves, que não necessitam de internação.

Além do aumento nas infecções, o governo registrou um incremento no percentual de confirmações em relação ao total de testes realizados:

  • Semana epidemiológica 44 (29/10 a 04/11): 3,8%;
  • Semana epidemiológica 45 (05/11 a 11/11): 5,2%;
  • Semana epidemiológica 46 (12/11 a 18/11): 9,7%;
  • Semana epidemiológica 47 (19/11 a 25/11): 14,5%;
  • Semana epidemiológica 48 (26/11 a 02/12): 16,6%.

Para a secretaria de Saúde, o aumento dos índices “pode ser resultado da maior intensidade de aglomeração e circulação de pessoas”, além do relaxamento das práticas de prevenção, como a higienização das mãos e o uso de máscara por pessoas com sintomas de infecção respiratória.

Outra causa para o crescimento dos números, de acordo com a SES, pode ser a disseminação de novas variantes do vírus Sars-Cov-2, como a JN.1 e a BA.2.86.1, que já foram identificadas em outros estados do Nordeste.

Aqui na Paraíba a Secretaria da Saúde  está recomendando uma nova dose da vacina bivalente contra a Covid 19 para pessoas com 60 anos ou mais e imunocomprometidos, que são os pacientes com mecanismos de defesa – sistema imunológico – comprometidos,  acima de 12 anos de idade. O intervalo entre a última dose do imunizante deve ser de 6 meses e a vacina já está disponível para a população nas salas de vacinação municipais.

A medida segue a indicação nacional do Ministério da Saúde, em virtude do cenário epidemiológico do estado do Ceará, que vem enfrentando um aumento de casos devido a novas subvariantes da ômicron.

Foto: Divulgação