Rei da Arábia Saudita decreta feriado nacional após vitória sobre Argentina na Copa do Catar

Rei da Arábia Saudita decreta feriado nacional após vitória sobre Argentina na Copa do Catar

Por - em 4 dias atrás 120

A Copa do Mundo do Catar precisou de três dias de bola rolando para conhecer a primeira grande zebra desta edição – quiçá, uma das maiores da história da competição. Nesta terça-feira (22), a Arábia Saudita venceu a Argentina, do craque Lionel Messi, atual campeã sul-americana, por 2 a 1, de virada, no Estádio Lusail.

Quando se olhava para o Grupo C da Copa do Mundo de 2022 antes de começar os jogos, colocava-se a Arábia Saudita como a mais fraca comparada a ArgentinaMéxico Polônia, mas como é de conhecimento geral, o futebol é cheio de surpresas.

Os asiáticos superaram todas as expectativas e venceram os ‘hermanos’ de virada, por 2 a 1, nesta terça-feira, 22.

O feito foi tão grande que o rei do país, Salman Bin Abdulaziz Al Saud, decretou feriado nacional no dia seguinte.

De acordo com informações do veículo Arab News, a ação foi proposta pelo príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, filho do monarca.

Saudi Press Agency, agência oficial de notícias da nação islâmica, divulgou no Twitter a determinação. “Quarta-feira será Feriado para todos os Funcionários de todos os Setores do Governo e Setor Privado, e Alunos de todas as Etapas Educacionais”, publicou.

O jogo consagrou os primeiros “heróis improváveis” da Copa. Dois grandes destaques foram o goleiro Mohammed Al-Owais, reserva do Al-Hilal – clube que ganhou projeção no Brasil ao enfrentar o Flamengo na semifinal do Mundial de Clubes de 2019. E o autor do gol da vitória esteve presente nesse duelo com os brasileiros: Salem Al-Dawsari, que chegou a jogar na Europa, enfrentou a equipe carioca e marcou o único tento de seu time. Dessa vez, conseguiu garantir a vitória que “mudou” o calendário de seu país.

A Arábia Saudita é uma monarquia absoluta, ou seja, o rei é chefe de Estado e também de governo. Estabelecida em 1932 por Abd-al-Aziz, conhecido como Ibs Saud, é considerada o berço do Islã e controlada pela dinastia Al-Saud desde sua criação, sem eleições presidenciais e com o poder sendo passado hereditariamente. O nome “Saudita” vem justamente da família que o lidera.

Não há partidos políticos “oficiais” no país, os movimentos que lá atuam são considerados ilegais, eles incluem comunistas, liberais, ambientalistas, dentre outros, além de divisões radicais. A Al-Qaeda, de Osama bin Laden, é um dos grupos contra as lideranças. O rei pode determinar uma ação nacional sem a necessidade de aprovação de um congresso, como foi o caso do feriado após a vitória sobre a Argentina.

No futebol, a Arábia Saudita surgiu recentemente em comparação às seleções mais tradicionais. Sua primeira participação em Copas do Mundo foi em 1994, naquela que é até hoje a melhor campanha da história: passou em segundo lugar no Grupo F, derrotando Bélgica Marrocos, e caiu para a Suécia nas oitavas de final.

Desde então, o sucesso nunca mais se repetiu e a equipe asiática foi eliminada na primeira fase em todas as outras edições que participou: 1998, 2002, 2006 e 2018. Não somente isso, ficou sem ganhar uma partida até o histórico triunfo sobre os sul-americanos, que foram também os primeiros campeões mundiais superados por ela. Em 98, perdeu para a França por 4 a 0; em 02, uma acachapante goleada de 8 a 0 para a Alemanha; em 06, “apenas” um a zero para a Espanha e, em 18, derrota para o Uruguai, também de 1 a 0.

A vitória já coloca a campanha de 2022 como, no mínimo, a segunda melhor de sua história. No próximo sábado, 26, a Arábia Saudita volta a campo contra a Polônia, buscando uma nova classificação ao mata-mata. Se o resultado contra a Argentina gerou um feriado nacional, superar 1994 seria motivo de ainda mais festa.

Fonte: O Estadão

Foto:  Marko Djurica