Presidente Bolsonaro decide ainda esta semana sobre prorrogação do Auxílio Emergencial

Por Edmilson Pereira - em 2 meses atrás 66

O presidente Jair Bolsonaro disse , nesta segunda-feira,  na cidade de São Roque de Minas, em Minas Gerais, que o governo deve prorrogar mais uma vez o auxílio emergencial.

Bolsonaro afirmou que pretende resolver a questão ainda esta semana, e disse em seguida que “que está batido o martelo no seu valor”.

— Se Deus quiser, nós resolveremos nessa semana a extensão do auxílio emergencial. Como deveremos resolver também nessa semana a questão do preço do diesel — disse Bolsonaro,

A última parcela do auxílio emergencial está programa para ser paga neste mês.

Auxiliares próximos ao presidente Bolsonaro avaliam prorrogar o programa até janeiro de 2023 apenas para beneficiários do Bolsa Família, que representam 14,6 milhões de famílias brasileiras.

A ideia é estipular o pagamento de cerca de R$ 250 mensais de forma cumulativa aos valores que essas pessoas já recebem pelo programa social, por pelo menos um ano.

Hoje, o valor médio do Bolsa Família é de R$ 189. Seria um pagamento, portanto, de cerca de R$ 440. Isso é superior aos valores pagos hoje pelo auxílio emergencial (R$ 150, R$ 250 e R$ 375).

A Caixa começa a pagar nesta segunda-feira a sétima e última parcela do auxilio emergencial para os beneficiários do Bolsa Família.

Também nesta segunda, a Caixa libera os saques em dinheiro e transferências da sexta parcela do auxílio para os trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em outubro e novembro.

Em paralelo, o governo planeja o Auxílio Brasil,  programa que vai substituir o Bolsa Família.  Em entrevista à TV Brasil exibida no domingo, João Roma afirmou que o programa vai pagar R$ 300 por mês.

Diesel

Bolsonaro voltou a justificar a alta dos preços como um sintoma da economia global que está afetando até mesmo países de primeiro mundo. Ele também criticou governadores e prefeitos que fecharam o comércio com o que chama de “política do fica em casa”.

“As soluções não são fáceis, mas nós temos obrigação de mostrar a origem do problema e como resolvê-lo. Sabemos que o mundo todo está tendo uma inflação muito acima do esperado”, disse.

“Muitos países de primeiro mundo estão enfrentando até desabastecimento no tocante a alimentos. A crise energética explode aí fora, mas nós temos obrigação de buscar solução para todos vocês”, finalizou.