Por desconfiança, Lula demite comandante do Exército, general Júlio César de Arruda

Por desconfiança, Lula demite comandante do Exército, general Júlio César de Arruda

Por Edmilson Pereira - em 5 dias atrás 167

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) demitiu neste sábado (21) o general Júlio César de Arruda do cargo de comandante do Exército. A demissão acontece 21 dias do mesmo ter sido nomeado para o cargo.

O substituto é o general Tomás Miguel Ribeiro Paiva, que era comandante militar do Sudeste desde 2021. A troca foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União”.

Segundo relatos colhidos no Exército e no Planalto, Arruda foi demitido por três fatores principais. Primeiro, Lula ficou irritado com a resistência no Comando do Exército de permitir a prisão no acampamento de bolsonaristas em frente ao Quartel-General em Brasília, na noite da invasão e depredação das sedes dos Poderes. Pesou também para a demissão do comandante os fortes indícios de que o Comando Militar do Planalto, ligado ao Exército, falhou significativamente na contenção dos ataques.

O terceiro fator, visto como a gota d’água nas relações de confiança, foi a resistência de Arruda para exonerar o tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid, conhecido como “coronel Cid”. Fiel escudeiro de Jair Bolsonaro e ajudante de ordens do ex-presidente, Cid foi nomeado para chefiar o 1.º Batalhão de Ações de Comando do Exército em Goiânia. Foi grande a pressão para que a nomeação fosse cancelada por Arruda, o que não ocorreu.

O general foi demitido um dia após ele e os comandantes da Marinha e da Aeronáutica se reunirem com Lula e os ministros da Defesa, José Múcio, e da Casa Civil, Rui Costa. De acordo com ministros ouvidos pela reportagem, houve um clima de forte tensão entre membros do governo, com discussões sobre a anulação da nomeação.

“Evidentemente que depois desses últimos episódios, a questão dos acampamentos e a questão do dia 8 de janeiro, as relações, principalmente no Comando do Exército, sofreram uma fratura no nível de confiança e nós achávamos que nós precisávamos estancar isso logo de início até pra que nós pudéssemos superar esse episódio”, disse o ministro da Defesa, José Múcio, ao lado do novo comandante, em declaração à imprensa no início da noite.

Já o presidente Lula usou as suas redes sociais para desejar um bom trabalho ao novo chefe do Exército. “Hoje, junto com o ministro da Defesa, José Múcio, conversei com o general Tomás Miguel Ribeiro Paiva, o novo comandante do Exército. Desejo um bom trabalho ao general”, escreveu Lula.

Antes de ser demitido, Júlio César Arruda havia participado na sexta-feira (20) de uma reunião, no Palácio do Planalto, com Lula, Múcio e os comandantes da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen, e da Aeronáutica, brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno.

Foi a primeira reunião do presidente com os comandantes das Forças Armadas depois de Lula defender punição para militares envolvidos nos atos golpistas de 8 de janeiro.

Após o encontro, o ministro da Defesa havia falado em “virar a página” dos atos golpistas e disse também não ver envolvimento “direto” das Forças Armadas nos ataques em Brasília. Na ocasião, Múcio afirmou também que os comandantes concordavam com a tomada de providências contra os militares eventualmente envolvidos nos atos.

Fonte: Portal G1

Foto: Divulgação