Operação do Gaeco prende servidores de prefeituras da Paraíba em processos de estupro, peculato, homicídio e dívida com pensão alimentícia

Operação do Gaeco prende servidores de prefeituras da Paraíba em processos de estupro, peculato, homicídio e dívida com pensão alimentícia

Por Edmilson Pereira - em 2 meses atrás 414

Com mandados de prisões em abertos em acusações de estupro, peculato, homicídio e dívida com pensão alimentícia, seis   funcionários públicos de prefeituras paraibanas  foram presos durante a “Operação Sangres”, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado,  (GAECO) do  Ministério Publico Estadual  e a Polícia Militar.

Estas prisões estão sendo viabilizadas pelo uso do APP SADEP ,  um algoritmo para detecção de foragidos. Para localizar os acusados o aplicativo faz o cruzamento dos dados os investigadores utilizando um Sistema Automatizado de Detecção de Possíveis Paradeiros de Foragidos  (SADEP), através de algoritmos.

A ação faz parte de uma força-tarefa coordenada pelo Gaeco para identificar pessoas com mandados de prisão em aberto contratados pelo poder público, em prefeituras, câmaras de vereadores e no Estado.

Confira os nomes dos presos e os respectivos crimes:

– Everton Camilo Vasconcelos da Nóbrega – Peculato lei 2848 ART. 312 (médico anestesiologista – Prefeitura de Bayeux)

-Manoel Matias de Oliveira – Estupro Lei 2848, ART. 217 (agente comunitário de saúde – Pref. de Bayeux)

-Anita Garibalde Gomes de Pinho – Estelionato lei 2848 ART. 171 (pensionista da Pref. de João Pessoa)

-Esdras Menezes da Costa – Pensão Alimentícia (motorista da Pref. de João Pessoa)

-Antônio Fernandes de Oliveira Filho – homicídio lei 2848, 121 (servente de pedreiro da Prefeitura de João Pessoa)

-Eriton Lira Araújo – lei 2848 ART. 121 e ART. 29 (agente de trânsito da Prefeitura de Pitimbu).