Executiva Nacional do PSDB suspende votação em prévias após problemas em aplicativo

Por Edmilson Pereira - em 2 semanas atrás 53

Sem uma nova data definida para a retomada da votação, o PSDB decidiu, neste domingo (21), suspender as prévias que definirão quem deve ser o candidato à presidência pelo partido no pleito de outubro de 2022, após problemas apresentados ao longo de todo o dia pelo aplicativo de votação destinado aos filiados.

A disputa pela indicação do partido na disputa é travada essencialmente entre os governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. O ex-prefeito de Manaus (AM) Arthur Virgílio também participa, mas corre por fora no pleito.

A votação teve início às 7h (horário de Brasília) deste domingo e, inicialmente, tinha previsão para acabar às 15h. Porém, os diversos registros de falhas no aplicativo fizeram com que o partido decidisse prolongar o prazo até as 18h.

O aplicativo demanda dupla autenticação, com dispositivo de reconhecimento facial – justamente a etapa em que era apontado o problema pelos filiados – e verificação via SMS. A ferramenta foi desenvolvida pela Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul, berço eleitoral de Leite, o que desde o início provocou a resistência de Doria.

Em nota, a sigla informou que “o processo de votação em aplicativo encontra-se pausado em razão de questões de infraestrutura técnica, que não comportou a demanda dos votantes das prévias”. “Os votos registrados neste domingo estão preservados e o PSDB está definindo, junto com os candidatos, em que momento o processo será retomado”, diz o texto.

“O PSDB definirá nova data para reabertura do processo de votação para que todos os filiados que não puderam votar neste domingo possam, com tranquilidade e segurança, registrar o seu voto e concluir a escolha do nosso candidato às eleições presidenciais de 2022”, prossegue.

“Os votos recebidos tanto pelo aplicativo quanto por meio das urnas eletrônicas ao longo deste domingo serão totalizados ao final do processo de votação. A integridade e a segurança do sistema estão totalmente preservadas. Todos os votos registrados desde a abertura da votação neste domingo estão válidos e serão computados”, conclui.

Nas prévias tucanas, o eleitorado é dividido em quatro grupos, cada um com peso unitário de 25% do total de votos válidos. São eles:

I) Filiados ao partido;

II) Prefeitos e vice-prefeitos;

III) Vereadores, deputados estaduais e distritais;

IV) Governadores, vice-governadores, senadores, deputados federais, ex-presidentes e o atual presidente da Comissão Executiva Nacional do partido.

No caso dos grupos I, II e IV, os votos atribuídos a cada candidato são divididos pelo número total de eleitores de cada, e os resultados são multiplicados por 0,25.

Já o grupo III é dividido em dois subgrupos, com igual peso. Neste caso, os votos atribuídos a cada candidato são divididos ao total de eleitores de cada subdivisão e posteriormente multiplicados por 0,125. Ao final, é feita a soma das duas categorias.

É considerado escolhido como representante do PSDB no pleito de 2022 o candidato que obtiver a maioria absoluta dos votos válidos, considerado o resultado do somatório da votação obtida em cada grupo com os devidos pesos.

Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta dos votos, os dois mais bem posicionados disputarão segundo turno, sendo escolhido o mais votado, seguindo os mesmos critérios descritos.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o PSDB tem 1.354.901 de filiados. Deste grupo, apenas 44.700 se cadastraram para votar nas prévias (ou seja, 3,30%).

Governadores, prefeitos, vices, senadores, deputados federais, deputados estaduais, o presidente nacional e os ex-presidentes do partido votaram presencialmente, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. A expectativa da sigla era que 700 mandatários fossem votar presencialmente neste domingo.

Vereadores e filiados votaram pelo aplicativo “Prévias PSDB”. Também podiam fazer uso do dispositivo os integrantes do grupo especial que não puderam participar do evento na capital federal. O voto é secreto.

O adiamento da votação traz mais incertezas ao processo tucano, que já vinha sendo contestado por candidatos – durante a disputa, as campanhas de Doria e Leite alertaram para fragilidades no aplicativo. Os imprevistos adicionam riscos de judicialização futura por pré-candidatos derrotados e podem fazer com que o partido saia ainda mais dividido para as eleições de 2022.

Entre as opções em discussão por dirigentes da sigla estão o fatiamento dos votos ainda não realizados durante a próxima semana ou o adiamento de todo o processo, para realização em outros moldes, com votação presencial apenas.

Fonte: Paraíba Notícia com informações do PSDB