Dinheiro a mais: Remuneração excessiva dos vereadores reprova contas da Câmara de Esperança

Dinheiro a mais: Remuneração excessiva dos vereadores reprova contas da Câmara de Esperança

Por Edmilson Pereira - em 1 ano atrás 264

A 2ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba reprovou, por maioria de votos, durante reunião realizada nesta terça-feira (21), as contas de 2021 encaminhadas a seu exame pela Câmara Municipal de Esperança. A remuneração recebida em excesso pelos vereadores contribuiu para a decisão da qual ainda cabe recurso.

As contas da Câmara de Sapé, atinentes ao mesmo exercício, obtiveram a aprovação unânime do órgão fracionário do TCE reunido na manhã desta terça-feira (21). O conselheiro Arnóbio Viana foi relator de ambos os processos.

Também foram aprovadas as contas de 2021 procedentes da Câmara de Vereadores de Junco do Seridó, como entendeu o relator Oscar Mamede Santiago Melo. Houve aprovação, ainda, às contas de 2019 da Secretaria de Finanças do Município de João Pessoa. O Fundo Municipal de Defesa dos Direitos Difusos (o Procon da Capital) teve aprovadas, com ressalvas, as contas de idêntico exercício, conforme voto do relator André Carlo Torres Pontes.

Reclamação contra a Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado formulada pela empresa NV Construções Eireli-EPP – na ocasião insatisfeita com a exigência de abertura pelos fornecedores de conta bancária no Bradesco – foi arquivada “por falta de objeto”, como entendeu o conselheiro em exercício Antônio Cláudio Silva Santos. Ele observou a revogação do decreto estadual que então determinava esse procedimento.

A utilização de recursos federais acarretou a decisão de encaminhamento ao Tribunal de Contas da União de contratos, aditivos contratuais, pregões e inexigibilidades de licitação atinentes à Secretaria de Estado da Educação, ao Fundo Municipal de Saúde de Belém e às Prefeituras de Campina Grande, Cacimba de Areia e Coremas.

Fonte: Ascom/TCE-PB