Valter Nogueira

por Valter Nogueira - 3 semanas atrás

O dilema do PSDB da Paraíba

O PSDB está marcando passo a espera de uma definição de Romero Rodrigues, mas não tarda anunciar o nome do deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) como candidato a governador em 2022, em substituição ao de Romero.

Fontes do interior do Estado informam que Pedro Cunha Lima já está em linha direta com prefeitos. É real a possibilidade de seu nome ser cotado para substituir o de Romero Rodrigues.

Os tucanos não se antecipam para, mais à frente, não passar à condição de vilão. Isto é, de ter preterido Romero antes mesmo deste ter desistido oficialmente da postulação. E, por essa razão, servir de pretexto para o ex-prefeito de Campina Grande oficializar publicamente adesão ao governo.

As evidências apontam que Romero não será mais candidato da oposição ao governo da Paraíba, em 2022. Porém, falta essa notícia sair da boca de Romero.

Por essa razão, o PSDB vive um dilema: esperar, sim! Mas até quando?

Atitude precipitada

Romero Rodrigues se precipitou no movimento de aproximação ao esquema político do governador João Azevêdo. É o que diz, em off, pessoas próximas ao ex-prefeito de Campina Grande.

Um fonte revela que Romero teve que desligar o seu celular, nos últimos dias, devido a enxurrada de mensagens de repúdio a tal atitude. A reprovação ao ato de Romero é grande junto a seus aliados, no âmbito da Rainha da Borborema.

Realidade

Na verdade, a pré-candidatura de Romero Rodrigues ao governo do Estado da Paraíba já nasceu morta, por assim dizer. O ex-prefeito de Campina Grande sequer compareceu ao ato em que o PSDB lançou o seu nome, em evento realizado em um hotel da Orla de João Pessoa, em julho deste ano.

Sinuca de bico

Romero está diante de uma sinuca de bico, como se diz no popular. Se oficializa aproximação ao governo, deixará para trás o seu grupo raiz. Por outro lado, se volta ao que era antes, terá deixado a mancha da desconfiança impressa na alma e no coração de amigos e correligionários.