Treze e Ferroviário (CE) disputam nesta segunda a 1ª partida decisiva pelo título de campeão da série

Por Elison Silva - em 3 meses atrás 60

Quebrando uma hegemonia das regiões Sul e Sudeste que já durava quatro anos, Ferroviário e Treze farão a primeira final nordestina do Campeonato Brasileiro da Série D. As duas equipes começaram muito mal a temporada, e passavam longe das listas de favoritos antes da bola rolar, no entanto, estão a um passo de conquistar seu primeiro título de relevância nacional. A partida de ida acontece nesta segunda-feira (30), a partir das 19:15 (horário de Brasília), no Castelão, em Fortaleza.

Ferroviário cresceu após troca de comando

A temporada 2018 do Ferroviário começou com uma eliminação como lanterna da segunda fase do Campeonato Cearense, sem uma vitória sequer. O fiasco se repetiu na Copa do Nordeste, em que o time amargou uma desclassificação na fase de grupos com apenas um ponto somado em seis jogos. Nas competições de âmbito nacional, no entanto, o Ferrão mostrou uma força que surpreendeu até seus próprios torcedores.

Os cearenses chegaram até a quarta fase da Copa do Brasil, deixando pelo caminho clubes de maior estrutura, como o Sport, que disputa a Série A, e o Vila Nova, atual quinto colocado da Série B. Caíram diante do Atlético Mineiro depois de uma goleada por 4×0 em Belo Horizonte e um empate em 2×2 no Castelão.

No Brasileirão da Série D, o time não empolgou logo de início, e apesar de se manter invicto, empatou quatro de seus seis primeiros jogos. Classificado para as fases eliminatórias, e com Marcelo Vilar no lugar de Maurílio Silva no comando técnico, despachou o Cordino e o Altos, sacramentou o acesso, nos pênaltis, contra o Campinense, e foi disputar a semifinal contra o São José, equipe de melhor campanha até então. A vaga na final veio graças ao saldo de gols, o Ferrão venceu por 3×1 em Fortaleza, e avançou mesmo sendo derrotado por 2×1 no Passo D’Areia.

O duelo de Porto Alegre causou algumas baixas. Três jogadores receberam cartão vermelho, os zagueiros André Lima e Luís Fernando e o atacante Vitinho. Para recompor o sistema defensivo, é quase certa a entrada de Afonso, só não se sabe se ao lado de Erandir ou Túlio. No ataque, o técnico Marcelo Vilar ainda aguarda o retorno de Luís Soares, que se recupera de contusão, mas caso ele não tenha condições, as opções são Dudu e Rafael Guedes. O meia Valdeci também pode ganhar uma chance. Edson Cariús, artilheiro do campeonato, com dez gols, tem presença mais do que garantida.

A provável escalação do Ferroviário terá: Gleibson; Lucas Mendes, Afonso, Erandir (Túlio) e Sávio; Mazinho, Leanderson, Janeudo, Esquerdinha e Valdeci (Rafael Guedes); Edson Cariús.

Treze mostrou regularidade na Série D

Para o Treze, os primeiros meses do ano também passaram longe de ser um mar de rosas. A equipe fez uma campanha digna no Campeonato Paraibano, mas foi eliminada nas semifinais com duas derrotas para o seu grande rival, Botafogo-PB, por 2×1 e 1×0. Na Copa do Nordeste, terminou na lanterna do Grupo A, que tinha ainda Santa Cruz, CRB e Confiança, com quatro pontos somados em seis partidas. Antes disso, o Galo da Borborema já tinha ficado pelo caminho na Copa do Brasil ao perder em casa para o Figueirense.

Com este retrospecto nada alvissareiro, o time de Campina Grande iniciou sua caminhada na Série D, e surpreendeu ao obter nada menos que 67% de aproveitamento na fase de grupos, terminando invicto e à frente de Itabaiana, Vitória da Conquista e Santa Rita.

Nos duelos de mata-mata, o Treze sofreu para eliminar nos pênaltis os mineiros do URT após dois empates em 1×1, e também não teve vida fácil contra o Iporá, que depois de perder por 2×0 no Presidente Vargas, ficou a um gol da classificação ao triunfar por 2×1 em Goiânia. A disputa pelo acesso contra o bom time do Caxias acabou tornando-se uma verdadeira batalha campal, mas ao fim das contas, o Galo venceu as duas partidas, por 1×0 e 3×1, e garantiu seu retorno à Série C. Na semifinal contra o Imperatriz, brilhou a estrela do goleiro Mauro Iguatu, que na disputa de pênaltis defendeu três cobranças dos maranhenses. O Cavalo de Aço havia levado a melhor no primeiro jogo pela contagem mínima, e o Treze devolveu o placar na Paraíba.

O técnico Flávio Araújo terá algumas dores de cabeça para escalar o time que jogará a decisão. Grande destaque dos últimos jogos, e autor do gol da vitória contra o Imperatriz, o atacante Maxuell Samurai desfalcará a equipe nas duas partidas, pois passará por cirurgia nos joelhos. Seu substituto será Leandro Love. No meio de campo, os volantes Dedé e Elielton estarão à disposição, mas apenas um deles deve começar jogando.

Aos 43 anos de idade, o veterano Marcelinho Paraíba comemora a oportunidade de disputar sua primeira final de Campeonato Brasileiro: “Eu quero muito conquistar esse título, dar mais essa alegria ao torcedor do Treze, que não para de me surpreender. Mesmo com 43 anos a gente fica emocionado, mas se esse título vier vai ser um prêmio para esse grupo que tem a humildade sempre à frente. Esses jogadores merecem e a gente vai fazer de tudo para conquistar esse campeonato.”, disse o meia.

A escalação do Treze para a partida do Castelão deve ter: Mauro Iguatu; Talisson, Ítalo, Nilson Jr e Silva; Carlos Coppetti, Dedé (Elielton) e Marcelinho Paraíba; Leílson, Leandro Love e Ceará.

A perda de Maxuel Samurai será um duro golpe para o Treze, que na última vez que atuou sem o atacante perdeu por 1×0 para o Imperatriz. Apesar de também ter seus desfalques, acredito que o Ferroviário chegará com mais força para o primeiro jogo, sobretudo por jogar em casa.

Fonte: http://ganhador.com