Temer viaja a Boa Vista nesta segunda-feira para discutir imigração venezuelana

Por Edmilson Pereira - em 6 meses atrás 229

Depois de enviar uma comitiva de ministros a Roraima na última quinta-feira, o presidente Michel Temer decidiu viajar nesta segunda-feira a Boa Vista, em Roraima, para conversar com a governadora Suely Campos sobre a situação do estado diante da intensa migração de venezuelanos. Segundo o Palácio do Planalto, Temer vai interromper o recesso de carnaval e deixar a base naval na Restinga da Marambaia, no Rio, onde está com a família. A previsão é de que o presidente retorne ao Rio ainda nesta segunda.

A visita de Temer ocorre em meio a ataques a venezuelanos na capital de Roraima. No sábado, a Polícia Civil prendeu um guianense acusado de incendiar duas casas de imigrantes em Boa Vista. A cidade recebeu cerca de 40 mil imigrantes entre os 70 mil que cruzaram a fronteira no ano passado. No entanto, segundo a Polícia Federal, foram registrados apenas 17.310 mil pedidos de refúgio de venezuelanos no ano passado.

O governo estuda transferir venezuelanos para outros estados para diminuir a sobrecarga nas unidades de saúde e outros serviços. Depois da visita na última quinta, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que os imigrantes poderiam ser direcionados para Amazonas, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

A situação na região, no entanto, pode se agravar, já que a Colômbia deu início, na última sexta-feira, a novos procedimentos de controle migratório na fronteira com a Venezuela. As medidas adotadas pelo governo colombiano provocaram um gargalo imediato na região, já que o país recebe, diariamente, 37 mil imigrantes venezuelanos, segundo a agência de notícias espanhola “Efe”.

No fim de janeiro, o governo brasileiro anunciou que também reforçaria o patrulhamento em áreas fronteiriças e descartou fechar a fronteira. Na ocasião, o ministro Eliseu Padilha afirmou que o país não iria impedir a entrada dos venezuelanos.

O ministro Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), disse que o governo pretende ordenar a entrada de venezuelanos e oferecer apoio ao estado, com ações de saúde e entrega de suprimentos. Segundo Etchegoyen, as restrições adotadas pela Colômbia aumentam o fluxo de venezuelanos para o Brasil.

— Não dá para esperar o carnaval terminar para agir. A situação é dramática. Precisamos entrar com uma forte ação federal para ajudar o estado e os municípios de Roraima — disse o ministro.

ATAQUE DEIXA CINCO FERIDOS
A chegada em massa de venezuelanos tem provocado tensão em Roraima. Duas casas de venezuelanos no bairro Mecejana, na Zona Oeste de Boa Vista, foram incendiadas na última semana. Cinco pessoas ficaram feridas.

O primeiro ataque ocorreu na madrugada do dia 5. Uma mulher de 24 anos foi atingida quando dormia em uma rede na varanda da casa. Três dias depois, um segundo incêndio deixou uma menina de 3 anos com queimaduras de segundo grau e o pai dela com 36% do corpo queimado. Eles dormiam quando um invasor ateou fogo no quarto onde estavam. Os dois permanecem internados em hospitais da capital.

Redação e O Globo