REFERÊNCIA: Maternidade Frei Damião é escolhida como projeto piloto para AcolheSUS

Por Edmilson Pereira - em 3 meses atrás 116

A Maternidade Frei Damião, localizada no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa, pertencente a rede estadual de saúde, que foi selecionada como projeto piloto entre as maternidades do Brasil para o projeto AcolheSUS, participa nesta terça (15) e quarta-feira (16) da 5ª oficina do projeto – Qualificação das Práticas de Cuidado. O objetivo principal da iniciativa é reduzir a mortalidade materna e fetal no Estado da Paraíba.

Nesta terça-feira (15), o encontro começou por volta das 9h, no Centro Formador de Recursos Humanos da Paraíba (Cefor-RH) e contou com a participação de profissionais de saúde e da diretora da Maternidade Frei Damião, Ana Márcia Fernandes, da enfermeira da Maternidade Frei Damião e coordenadora do projeto na Paraíba, Tássia Brito, da pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Gisela Cardoso, da técnica do setor da Saúde da Mulher da SES, Lusana Mendes, a diretora do Banco de Leite Humano Anita Cabral, Thaise Ribeiro, além de profissionais da regulação do município de João Pessoa.

A enfermeira da Maternidade Frei Damião e coordenadora do projeto na Paraíba, Tássia Brito, explica que “as oficinas contribuem para a construção do plano de intervenção e visa reduzir a mortalidade por causas evitáveis, além de possibilitar uma melhoria na assistência ofertada. Como fruto dessas oficinas já conseguimos implantar na instituição o NIR (Núcleo Interno de Regulação), adaptado o acolhimento com classificação de risco em obstetrícia de acordo com o manual do Ministério da Saúde (MS), além da construção dos protocolos de urgência e emergência obstétrica”, destacou.

De acordo com a técnica do setor da Saúde da Mulher da SES, Lusana Mendes, o projeto, além de proporcionar a qualificação dos profissionais, estabelece o monitoramento do serviço prestado.

Segundo a pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Gisela Cardoso, no total, 21 estados do país aderiram ao projeto, com a seleção de três projetos pilotos, sendo escolhidas as experiências de maternidade, urgência e emergência e psicossocial. “É importante destacar que a Frei Damião, desde o início, demonstrou interesse em participar e, em contrapartida, a equipe do Ministério da Saúde dá todo o suporte necessário às equipes, para a implementação e avaliação da iniciativa do projeto. Além disso, nas oficinas auxiliamos na montagem dos planos de trabalho, solução de problemas encontrados, prioridades, organização do plano de trabalho, intervenções a serem adotadas, para depois avaliar e monitorar os trabalhos desenvolvidos”, detalhou Gisele Cardoso.

Para a diretora da Maternidade Frei Damião, Ana Márcia Fernandes, o projeto é muito proveitoso, pois tem contribuído para a qualificação dos processos de trabalho, especialmente com relação a porta de entrada, no que diz respeito a qualificação do atendimento no acolhimento, além das intervenções de melhorias no alojamento conjunto, centro cirúrgico, centro obstétrico, sala de parto, enfermarias, Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) materna e a implantação dos protocolos internos em todos os setores, proporcionando um acolhimento humanizado e bem-estar das usuárias.

Projeto AcolheSUS – Tem por meta a qualificação das práticas de cuidado a partir das portas de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS) com base na Política Nacional de Humanização e foi instituído como estratégia para a criação de laboratórios de experimentação das diretrizes e dispositivos da Política Nacional de Humanização (PNH), visando à qualificação do modelo de gestão e atenção dos serviços e melhoria ao acesso do usuário com qualidade e resolutividade.

O Projeto AcolheSUS trabalha com as diretrizes: acolhimento, ambiência, gestão e organização do cuidado e qualificação profissional, promovendo, por meio do método da PNH, movimentos de intervenção capazes de modificar os modos de produção de saúde nos territórios, trazendo em si os objetivos almejados com a humanização no cuidado em saúde, configurando a base para orientar planejamento de ações estratégicas, a partir de um plano de trabalho com acompanhamento de indicadores de Atenção à Saúde junto ao monitoramento e avaliação.

Destaque na saúde pública do Estado – A Maternidade Frei Damião tem prestado relevantes serviços às mulheres e aos bebês paraibanos, sendo referência no atendimento às gestantes de alto risco e às mulheres vítimas de violência sexual.

Em reconhecimento aos trabalhos e ações pela universalização do acesso e qualificação dos serviços de saúde da mulher, foi contemplada, em julho do ano passado, com o Diploma de Menção Honrosa – Prêmio Dr. Pinotti – Hospital Amigo da Mulher, concedido pela Câmara dos Deputados, por intermédio do deputado federal Luiz Couto.

Referência – A unidade de saúde existe há 30 anos e é referência para os 223 municípios paraibanos e ainda atende cidades pertencentes a estados vizinhos, a exemplo, do Rio Grande do Norte e Pernambuco.

Estrutura – A maternidade conta com 57 leitos, entre eles 36 obstétricos, distribuídos em nove enfermarias, seis de Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin), cinco de Unidade de Cuidados Intermediários Convencional (UCINCo), quatro de Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (Ucinca) e seis de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI materna).