João Pessoa realiza Mutirão de Prevenção do Câncer Colorretal no Hospital Universitário

Por Edmilson Pereira - em 3 anos atrás 434

Amanhã e quinta-feira (16) será realizado o 13º Mutirão para Prevenção do Câncer Colorretal  no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa.

A ação é realizada pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, com o objetivo de prover acesso ao principal mecanismo para prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer colorretal.

Serão realizados 100 exames de colonoscopia em pacientes da rede pública que já tiveram o diagnóstico confirmado. Estes pacientes já foram pré-selecionados e estão sendo preparados para o exame.

O Câncer Colorretal é o terceiro câncer mais frequente no Brasil em homens e o segundo em mulheres, infelizmente seguindo a tendência mundial.

É o terceiro câncer que mais mortes provoca no mundo. A Paraíba deve registrar 320 novos casos de câncer colorretal em 2018, de acordo com estimativas do Instituto Nacional do Câncer.

Dr. Lix de Oliveira, presidente da Comissão de Mutirões e Prevenção de Câncer Colorretal da Sobed, explica que os testes serão aplicados em indivíduos entre 50 e 75 anos.

Caso sejam identificadas lesões ou tumores, serão tratados pela própria colonoscopia, ou indivíduo será encaminhado para tratamento cirúrgico caso não seja possível o tratamento colonoscópico.

A ação acontecerá às vésperas do XII (12º) Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva, servindo para alertar população e autoridades governamentais a respeito da importância da prevenção do câncer de cólon e reto. “Aproveitamos o Simpósio e convidamos especialistas renomados nacional e internacionalmente para apoiar e atuar gratuitamente nesta iniciativa; além disso, disponibilizaremos equipamentos endoscópicos de última geração para estes atendimentos”, adianta o Dr. Lix de Oliveira.

O especialista destaca que é fundamental conscientizar população e médicos sobre o câncer colorretal. “Ele é passível de prevenção, então, por meio de informação de qualidade e correta, conseguimos diminuir o número de casos e deixar com que menos pessoas sofram e morram em decorrência desse câncer, que é o mais prevenível de todos os cânceres”.

Dessa forma, parte do resultado desta iniciativa é a difusão do conhecimento a respeito da doença. “Conseguimos chegar aos médicos locais, da mesma ou de outras especialidades, dos acompanhantes dos pacientes, que chegam motivados para conhecer mais sobre esse tipo de câncer e sua prevenção. Promoveremos orientação a todos sobre os mecanismos de rastreio e combate, tornando-os potenciais divulgadores em suas comunidades e famílias”, reforça.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca) há projeção nacional para quase 37 mil novos casos em 2018.