ELEIÇÃO 2018: DEM lança pré-candidatura de Rodrigo Maia à Presidência

Por Edmilson Pereira - em 7 meses atrás 138

O Democratas (DEM) lançou nesta quinta-feira (8), durante convenção nacional do partido, a pré-candidatura do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), à Presidência da República. Aliado histórico do PSDB, o DEM não tem um candidato próprio na corrida ao Palácio do Planalto desde as eleições de 1989, quando Aureliano Chaves concorreu pelo extinto PFL. Em 2007, a sigla mudou de nome e passou a se chamar Democratas.

Integrante da base aliada do presidente Michel Temer, o DEM tenta se distanciar do Palácio do Planalto para viabilizar o nome de Maia até junho, quando as legendas têm de realizar as convenções para oficializar os candidatos que entrarão na disputa.

“A nossa ideia é produzir a construção de um projeto para o futuro que olhe a mudança que a política precisa fazer, que a sociedade espera, a redução de gastos desnecessários, o enfrentamento claro da burocracia brasileira”, afirmou Maia ao chegar ao evento, realizado em um auditório na Câmara dos Deputados.

Ao anunciar Maia como pré-candidato, o novo presidente da sigla e prefeito de Salvador, ACM Neto, elogiou a capacidade de diálogo de Rodrigo Maia e disse que ele foi “decisivo para a manutenção da estabilidade democracia deste país”.

“Confiamos inteiramente num homem público que começou a sua vida politica nesse parlamento, cresceu nos momentos de diversidade. (…) Um homem que foi decisivo para a manutenção da estabilidade democrata deste país. Porque ele teve responsabilidade, maturidade, teve a capacidade de abrir o diálogo com todas correntes, esse partido se refunda para abrir o dialogo com o país”, discursou ACM Neto.

“Não há um quadro mais preparado para presidente o Brasil do que Rodrigo Maia”, concluiu.

Em seu discurso, Maia disse que quer “construir com o povo brasileiro um pacto para rompermos com o que há de velho e atrasado na política brasileira”.

“Assumo o desafio de fazer o Brasil crescer de forma consistente. […] Aceito, sim, o desafio de ser candidato à presidência da República. Não só do Democratas. Vamos construir alianças para ser também o candidato de partidos aliados”, afirmou o presidente da Câmara.

Após o evento, Maia disse à imprensa que sua candidatura vai “decolar” apesar de pesquisas de opinião recentes atribuírem a ele 1% das intenções de voto. Segundo afirmou, não há “plano B” no partido.

“Não tenho dúvida nenhuma de que a nossa pré-candidatura estará no segundo turno e sairemos vitoriosos”, afirmou. “Minha candidatura vai decolar”, acrescentou.

Maia ressaltou ainda não ter “problema em disputar candidatura com baixa intenção de voto”.

Questionado se o partido pretende indicar um novo nome para a pasta da Educação no lugar do ministro Mendonça Filho, que deve deixar o ministério até abril, Maia disse que o DEM não tem “nenhuma necessidade de ser governo” e que não está atrás de cargos.

Maia voltou a repetir o discurso de que poderá defender pontos do governo Temer, mas apenas aqueles com os quais concorde. “O governo quer um candidato para defender o legado. (…) Para defender o legado, eu não estou disposto”, disse.

Redação e G1