DESISTÊNCIA: Jeová anuncia que não disputará mais mandato eletivo e que vai retomar à atividade acadêmica na UFPB

Por Edmilson Pereira - em 3 meses atrás 111

Embora afirmando que nunca irá sair da política,  ao destacar que a política está nas suas veias e que a política é o exercício da cidadania, o deputado estadual Jeová Campos (PSB) anunciou nesta sexta-feira (22) que irá cumprir apenas o atual mandato,  que se encerrará em janeiro de 2022.

– Espero concluir esse mandato com a responsabilidade que iniciei em 2006,  quando fui eleito pela primeira vez, com muita firmeza, defendendo as causas dos mais humildes, mas não pretendo mais voltar à Assembleia. Essa é uma posição minha. Sou criticado pelos mais próximos, que são de opinião que não devo dizer isso, mas eu digo. Não disputarei mais mandato.  Não é porque esteja desencantado com o ambiente da Assembleia não, reforçou Jeová Campos.

Jeová Campos  se queixou da maneira como os políticos são avaliados e como os eleitores decidem seus votos.  “A forma de fazer política, os custos de uma campanha, e o vale tudo  nas eleições. Infelizmente, isto está desmotivando a quem tem caráter e a quem tem seriedade. Você faz um mandato propositivo, afirmativo, reconhecido, mas quando chega a eleição, a hora do voto, você tem que baixar-se ao nível das negociatas das eleições,  se quiser ter os apoios. Isso entristece qualquer pessoa de consciência cidadão, o que me leva a decidir por não mais querer disputar um novo mandato eletivo”.

Advogado, professor universitário, Jeová Campos revelou, que pretende voltar à sala de aula e fazer um doutorado. Vai continuar fazendo política, porém , disputar mandato eletivo.

Jeová Campos revelou o orgulho de bandeiras que abraçou e que defendeu ao longo dos três mandatos como deputado estadual. Destacou a luta em defesa das águas, da transposição do São Francisco, a posição contra a reforma da previdência, a defesa dos trabalhadores rurais, dos mais humildes, do polo de confecções de Cajazeiras,  a defesa dos pequenos e microempreendedores, entre outros. Por tudo isso, avalia que cumpriu bem a confiança que lhe foi da pelos eleitores paraibanos, mas que a decisão de não mais concorrer um mandato eletivo é definitiva.