CORONAVÍRUS: Clientes de banda larga fixa passam por instabilidades por conta do volume de acessos

Por Edmilson Pereira - em 2 meses atrás 76

Neste momento de quarentena por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), com muita gente trabalhando em casa, com home office, crianças fora da escola, a demanda por download e upload de dados cresce bastante. E aí os problemas com provedores de internet aumentam.

Segundo Eduardo Tude, presidente do Teleco, um site que reúne especialistas e conteúdos de análise do mercado de internet no Brasil, o problema maior é na hora de pico, especialmente à noite, que causa queda ou intermitência da qualidade da banda larga fixa, principalmente por conta do uso do streaming, notadamente, o de vídeo. “Normalmente é o streaming de vídeo à noite que aumenta a demanda. O pessoal que está em casa, muita gente ao mesmo tempo. O que os provedores de streaming têm feito é baixar um pouco a qualidade do vídeo para diminuir o tráfego”, afirma, ressaltando que mesmo assim o impacto na conexão é grande.

A gigante nacional Net, do grupo Claro, aparece no site Down Detector, que se propõe a fazer monitoramento de problemas e mostrar tempo de inatividade em tempo real e interrupções do serviço, como um dos que está enfrentando os maiores problemas nos últimos dias. Praças como São Paulo, Porto Alegre, Campinas, Rio de Janeiro, Brasília, São Bernardo do Campo/SP, Curitiba, Belo Horizonte e Goiânia surgem como as que têm mais reclamações de usuários.

Não há muitos dados sobre Fortaleza. Porém, Fortaleza e Maracanaú surgem no mapa do site como tendo problemas em algumas regiões, mas nada parecido com as cidades citadas anteriormente. Na nossa Capital, o problema parece ser mais concentrado na região do Meireles e Mucuripe. Já em Maracanaú, a dificuldade de acesso parece, pelo mapa, na região próxima ao estádio Moraisão. Tudo isso até o fechamento desta matéria. Importante frisar isso, pois os dados mudam de acordo com o momento da busca.

10.764
de acessos em todo o Brasil tivemos em fevereiro deste ano na banda larga fixa em fibra óptica. Isso representa uma queda de 0,7% frente ao mês de janeiro. No Ceará, o total de acessos foi 7,06% menor (496.574) que janeiro que teve 534.296 clientes conectados. Mesmo assim é muita gente usando a banda larga fixa no País e aqui no Estado.

Consumo maior

Segundo Sayde Bayde, diretor de Comunicações da Mob Telecom, nos últimos dias o consumo de internet por conta dos clientes da empresa (residenciais ou provedores de acesso) aumentou mais de 40%. A empresa trabalha com mais de 40 mil clientes no Ceará e um total de mais de 1 milhão no Brasil através de provedores nos estados de São Paulo, Amapá, Pará, Piauí, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Rio de Janeiro e Goiás. Ainda de acordo com Bayde, os picos de dados chegaram a 880GB, só em Fortaleza, que é a sede.

A empresa garante ter criado dois comitês durante a crise do Covid-19. Um cuida da saúde dos funcionários, evitando que eles possam contrair a doença, inclusive com regime de home office e para os que vão às ruas fazer reparos técnicos, a liberação de equipamentos para evitarem o contágio. A outra comissão fica monitorando oscilações na rede para tentar evitar quedas bruscas ou falta do serviço para os clientes. Até agora esta segunda comissão tem conseguido evitar maiores problemas.

Fonte: Paraíba Notícia e Diário do Nordeste