COMPLICOU: Empresário apresenta novo vídeo no MP onde o prefeito Berg Lima é filmado recebendo dinheiro como propina

Por Edmilson Pereira - em 2 semanas atrás 366

O prefeito afastado de Bayeux, Berg Lima, sofreu mais uma duro golpe nesta terça-feira (09), na batalha judicial que trava na tentativa de voltar ao comando da prefeitura municipal, de onde se encontra afastado deste o dia 5 de julho de 2017, quando foi preso, em flagrante, pela Polícia Civil da Paraíba, numa operação do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba, tentando extorquir um fornecedor da prefeitura.

O empresário e fornecedor da prefeitura de Bayeux, José Paulino de Assis, entregou no Ministério Público Estadual, um novo vídeo, como prova da extorsão. Nesse vídeo o prefeito Berg Lima aparece recebendo a quantia de R$ 3.000,00 (Três mil reais) e foi gravado em data anterior no qual ele aparece recebendo os R$ 3.500,00 (três mil e quinhentos reais), usado no flagrante da Polícia Civil, no momento da prisão.

O vídeo mostra claramente as tratativas sobre o assunto. O empresário narra que recebeu R$ 21 mil e pagou R$ 5 mil como recompensa, porém, admite, na conversa com Berg Lima que falhou ao receber a segunda parcela, no valor de R$ 16 mil, e não ter pago os R$ 3 mil prometidos. Na conversa, o prefeito demonstra irritação e diz que a dívida “acumulou”. É quando o empresário separa os R$ 3 mil, coloca no envelope e pede que ele leve o dinheiro. Como sinal de que fará tudo de acordo com o combinado desta vez, promete pagar o restante na terça-feira seguinte.

A defesa de Berg que sempre tratou de armação da oposição, incluindo o vice-prefeito, como um dos autores, afirmando que o valor era resultado de um empréstimo, e que ele foi pagar o valor, mais uma vez foi desmentido pelo empresário, que ratificou que o dinheiro era fruto de propina

O empresário reafirmou no Ministério Público que o total da propina era R$ 11.500, 00 (Onze mil e quinhentos reais) e que Berg já tinha recebido R$ 5.000,00 (Cinco mil), não filmado, e queria receber o restante de uma só vez, mas que esse valor terminou sendo parcelado, sendo a segunda de 3.000,00, cujo vídeo foi entregue hoje, e a terceira parcela no valor de 3.500,00, no dia 5 de julho do ano passado, data da prisão em flagrante.