Começa neste domingo o horário de verão; Norte e Nordeste ficam fora da mundança

Por Edmilson Pereira - em 1 mês atrás 33

  Credito: Carlos Silva/CB/D.A Press

Moradores das regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul terão de adiantar o relógio a partir de meia-noite de hoje. Depois de muita polêmica, o governo decidiu manter o Horário de Verão, apesar da constatação de que a economia com a medida é mínima: R$ 150 milhões em quatro meses. A medida desagrada muita gente, principalmente trabalhadores que moram longe do emprego.

O horário especial é adotado, continuamente, desde 1985. O objetivo inicial, segundo o Ministério de Minas e Energia, foi conscientizar a população sobre o aproveitamento da luz natural, mas a economia para o setor diminui ano a ano. No Horário de Verão de 2013/2014, foram poupados R$ 405 milhões, já no de 2014/2015, R$ 278 milhões — 31% a menos. No de 2015/2016, evitou-se o desperdício de R$ 162 milhões. No verão de 2016/2017, o governo poupou R$ 159,5 milhões.

A expectativa é de uma economia de R$ 150 milhões no deste ano. Maurício Tavares, coordenador do Curso de Engenharia Elétrica do IESB, afirma que cada vez mais o impacto é menor. O pico passou a ser no início da tarde, por volta das 15h. “É importante destacar que estamos num momento de escassez nos reservatórios, de bandeira vermelha dois, que se economiza pouco na quantidade e mais no valor”, alega. O fim do horário especial será no dia 18 de fevereiro de 2018.relógio à meia-noite.

Horário de Verão começa neste domingo e vai até 18 de fevereiro de 2018. Apesar de a medida garantir economia pequena de energia, especialistas lembram que, em tempo de bandeira vermelha, a poupança pode ser grande na conta de luz.

1 hora é quanto os brasileiros das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem adiantar os relógios.

R$ 150 Milhões é a economia esperada para este ano com a medida.

Redação e Correio Brazileinse