Com depressão, diabético e correndo risco de morte, advogados pedem prisão domiciliar para o radialista Fabiano Gomes

Por Edmilson Pereira - em 1 semana atrás 516

O advogado Gustavo Botto, que integra um dos escritórios na Paraíba que faz a defesa do comunicador Fabiano Gomes,  concedeu entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (13), na Associação Paraibana de Imprensa (API), informou que foi protocolado no Tribunal de Justiça do Estado um pedido de prisão domiciliar para o comunicador, que está preso desde o dia 22 de Agosto,  último, no presídio de Segurança Máxima, o PB1, em João Pessoa.

O advogado informou que o pedido de prisão domiciliar em favor de Fabiano Gomes é justificado por diversas razões, entre elas, a gravidade da saúde do paciente, que segundo Gustavo Botto, sofre de depressão em grau elevado, diabetes, e o surgimento de feridas nos pés, ocasionados pela doença, o que , inclusive, poderá levar à necessidade de amputação de órgãos.

Gustavo contou ainda que Fabiano Gomes desde o dia que foi recolhido ao PB1 já recebeu atendimento médico por 5 vezes,  e que há vários laudos de médicos particulares e até de um psiquiatra do sistema penitenciário atestando a necessidade de internação médica do paciente.

O advogado do comunicador acrescenta,  ainda,  que Fabiano Gomes não oferece risco à sociedade, tem colaborado com as investigações processuais, e que partiu dele a iniciativa de procurar a Justiça para prestar informações, em depoimento de colaboração.

Fabiano Gomes continua preso no PB1, em área isolada do presídio, sem direito a banho de sol e recebendo visita apenas de familiares e dos advogados. A permanência na área isolada do presídio foi uma decisão da própria direção do PB1 temendo pela vida do comunicador, uma vez que nos pavilhões onde os demais presos tomam banho de sol estão vários outros condenados da Justiça, denunciados pela imprensa, na época em que Fabiano comandava programa em emissoras de TVs e de rádio.