Elison Silva

por Elison Silva - 3 meses atrás

Dirigente do Botafogo-PB relembra dia que “encurralou” Eurico Miranda no Almeidão

Temido por muitos, Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco da Gama, foi um dirigente polêmico dentro e fora do mundo esportivo. Nos bastidores, o já falecido mandatário acumulava um grande histórico de acusações de manipulação de resultados. No entanto, em sua estadia na Paraíba no ano 2000, a história foi diferente.

De acordo com Luciano Wanderley, presidente do conselho deliberativo do Botafogo-PB, Eurico Miranda foi encurralado após uma partida no estádio Almeidão e sofreu represálias dos dirigentes do Belo.

A partida disputada no dia 15 de março de 2000, válida pela segunda fase da Copa do Brasil, não acabou com o apito final. Na ocasião, o Vasco conseguiu a vitória pelo placar de 3 a 1 em cima do time da estrela vermelha com gols de Edmundo, Dedé e Paulo Miranda. O jogo, no entanto, não deveria ter acontecido na data. Luciano Wanderley, então presidente do Belo, firmou acordo verbal com Eurico Miranda para que a partida fosse adiada em uma semana, tendo em vista a não finalização da reforma nos refletores do Almeidão.

Por telefone, em um sábado, o acordo firmado adiou a partida em uma semana. A oficialização do acerto seria dado na CBF, na segunda-feira. Mas, descumprindo o combinado, a delegação do Vasco desembarcou em João Pessoa na segunda-feira para a realização do jogo na quarta-feira, como previsto inicialmente.

– Com uma semana a mais, nós conseguiríamos fazer o jogo em uma quarta à noite. E, em uma conversa que a gente teve com o Eurico Miranda por telefone, ele garantiu que aceitava o adiamento do jogo por mais uma semana. Isso foi uma conversa em um sábado e iria oficializar isso na CBF na segunda-feira. Mas, para nossa surpresa, sem nos avisar, o Vasco desembarcou em João Pessoa para fazer o jogo na quarta-feira às 15h15, no Almeidão. Nem ingresso a gente tinha confeccionado  declarou Luciano Wanderley.

Mesmo sem planejamento e divulgação prévia, cerca de 18 mil torcedores assistiram a derrota do Botafogo-PB dentro de campo. A diretoria do clube paraibano, porém, anunciou no borderô a presença de apenas 3 mil torcedores, o que anulava a possibilidade do Vasco da Gama lucrar com a partida.

– Eu divulguei o borderô com 3 mil pagantes porque o Botafogo-PB tinha várias despesas para pagar e nós fomos roubados dentro do campo. Literalmente roubados por um árbitro, se não me engano, Romildo, da Federação Paulista. Chegando lá na tesouraria eu disse a ele “daqui você não vai levar nada”, e houve um quebra pau até com os seguranças. E nessa encurralada, o dinheiro ficou aqui com o Botafogo-PB. Essa história ainda chegou na Câmara Federal, porque ele era Deputado Federal na época e nós tínhamos Domiciano [Deputado paraibano, também ex-presidente do Belo] que fez a ponte, apaziguou e ficou tudo em paz. Mas o quebra pau dentro da tesouraria do Almeidão foi realmente muito grande, e nós levamos vantagem – finalizou o atual presidente do conselho deliberativo do Botafogo-PB.

Por Ana Flávia Nóbrega

    No tags created.