Valter Nogueira

por Valter Nogueira - 2 meses atrás

ALPB no Centro de tudo

Imagine acordar, de manhã, e se deparar com a seguinte informação: A presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba, com apoio do Governo do Estado, acaba de anunciar que o Poder Legislativo estadual desapropriará imóveis localizados por trás do prédio-sede da Casa Epitácio Pessoa para, no local, construir o novo e moderno Anexo da ALPB. O novo edifício terá capacidade para abrigar gabinetes dos deputados, plenário e demais divisões administrativas. A ideia é manter a Assembleia no coroação da cidade.

Que manchete daria, hein!

É claro que o lead acima não passa de especulação e atende ao anseio dos entusiastas do Centro da cidade de João Pessoa. A área central da velha Filipéia tem cantos e recantos que encantam, porém, a cada ano, perde espaço para outros bairros, em especial para a Orla marítima  nos quesitos residencial e comercial.

O assunto já foi tema de análise nesta coluna, mas trago a questão à tona novamente ante declarações do presidente do Legislativo, deputado Adriano Galdino, que, de quando em vez, repete que o plenário da Assembleia não tem condições de receber grandes eventos – o que é verdade! Porém, deve existir outra saída além da que propõe transferir a Casa para outro local fora da área central da Capital.

É inegável que o prédio-sede da ALPB ficou pequeno ante o crescimento do Poder Legislativo, realidade que reflete negativamente na realização de atividades na Casa Epitácio Pessoa. Edificado na década de 1970, na Praça João Pessoa, o prédio não atende a atual demanda do Poder, hoje com mais serviços ofertados à população, o que exige mais espaços.

Projetos

A princípio, a ideia era a construção de um novo prédio no Altiplano Cabo Branco. Depois, ocupar o prédio do antigo banco Paraiban, na Epitácio Pessoa. Agora, na atual gestão de Adriano Galdino, ventila-se levar os gabinetes de deputados e o plenário da Casa para fora do Centro. Isto é, retirar do prédio-sede da ALPB a principal atividade do Legislativo.

Caso isso ocorra, o Centro estará a um passo do abandono total, vez que a iniciativa poderá incentivar outros órgãos públicos a fazer o mesmo. Dessa forma, menos pessoas no entorno da Assembleia.

A Casa Epitácio Pessoa faz parte da paisagem e do cenário urbano do Centro, especialmente da Praça dos Três Poderes. É a casa do povo e, por essa razão, deve permanecer no Centro da cidade.

Exemplo

No final da década de 1980, o então governador Tarcísio de Miranda Burity desapropriou dois prédios localizados por trás do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) para  construir, no local, o novo Fórum da Capital. A visão e o projeto de Burity transformaram, anos depois, a área desapropriada no que passou a ser denominado “Quarteirão Judiciário”. Hoje, o prédio abriga o Anexo Administrativo do Tribunal.