AUMENTO: Petrobras anuncia reajuste de R$ 0,10 no preço do diesel

Por - em 1 mês atrás 183

Após a interferência da semana passada do presidente Jair Bolsonaro na política de preços da Petrobras, que fez a companhia voltar atrás no reajuste divulgado, o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, anunciou nesta quarta-feira (17), 17, aumento de R$ 0,10 no preço do diesel nas refinarias, para, em média, 2,2470 reais o litro. O novo valor já entre em vigor a partir de amanhã.

O reajuste é de 4,8%, em média, abaixo dos 5,7% que foram anunciados na semana passada e depois cancelados. Naquele dia, o aumento seria de R$ 0,12 –de 2,1432 reais para 2,2662 reais por litro. Segundo Castello Branco, a alta foi menor porque o frete marítimo caiu.

O presidente da Petrobras afirmou que não houve perda com o adiamento do reajuste do diesel, devido ao hedge (instrumento do mercado financeiro de proteção contra perdas) feito pela companhia. “A Petrobras teve perda zero.”

Segundo a petroleira, o preço estabelecido representa, em média, 54% do valor do diesel nos postos de serviço. A companhia informou ainda que o preço médio do diesel ao consumidor no Brasil é 13% menor do que a média global, havendo 105 países com preços superiores. “A Petrobras reafirma a rigorosa observância do alinhamento de seus preços com a paridade internacional”, segundo comunicado da empresa ao mercado financeiro.

Castello Branco informou que a estatal passará a divulgar os reajustes em reais por litro, e não mais em percentual, como era feito até a semana passada. “Não existe caixa-preta na Petrobras”, afirmou o executivo.

Castello Branco disse que a Distribuidora BR e a Petrobras não irão subsidiar ninguém. “Não faremos ações sociais relacionando nossos preços.”

Em relação à pressão dos caminhoneiros, o executivo afirmou que os “únicos países que têm greve de caminhoneiros são o Brasil e a França, porque tem uma estatal produzindo Petróleo. Nós não queremos solidão no mercado, queremos competição”.

O governo federal anunciou na terça-feira, 16, um pacote de novas medidas para atender o setor de transporte de cargas, que não agradou aos caminhoneiros.

A Petrobras anunciou um reajuste de 5,7% no preço do óleo diesel na sexta-feira 12, mas mudou de ideia horas depois. A alta no preço do combustível seria a maior desde que os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e da petroleira, Roberto Castello Branco, assumiram os cargos, e mediante a tensão com os caminhoneiros, Bolsonaro admitiu ter ligado para Castello Branco para conversar sobre o valor. Um dia após o episódio, as ações da Petrobras despencaram e a estatal perdeu 32 bilhões de reais em valor de mercado em apenas um dia.

O presidente da estatal, afirmou na segunda-feira, 15, que a estatal é “livre” e “tem vida própria” e negou intervencionismo do presidente da República.

Fonte: Redação e Revista Veja