2020 é o ‘Ano Celso Furtado’ na Paraíba

Por - em 10 meses atrás 317

Na Paraíba, o ano de 2020 será o “Ano Celso Furtado”, em homenagem ao centenário do ilustre economista nascido em Pombal, no Sertão da Paraíba. A proposta, que é de autoria da deputada Pollyanna Dutra, objetiva levar o conhecimento do nome de Celso e sua obra para todo o estado. A lei 11.505/2019, que institui 2020 como “Ano Celso Furtado”, foi sancionada pelo governo do estado em 16 de novembro de 2019.

Conforme o projeto da parlamentar, as comemorações e os eventos em torno do nome de Celso serão realizadas no decorrer de todo o ano de 2020 e deverão ser promovidas pelo Poder Público Estadual, envolvendo pesquisa, produções audiovisuais e afins, com o objetivo de possibilitar um maior conhecimento e expansão dos trabalhos e da vida de Celso Monteiro Furtado.

Pollyanna Dutra destacou a relevância do economista para o estado da Paraíba. Na justificativa do seu projeto de lei, a deputada explicou que, “a inovação, excelência de ideias, ousadia de pensar à frente do seu tempo e iluminar as Ciências Econômicas com a necessária visão interdisciplinar e humana de Celso Furtado nos levou a levar à Casa de Epitácio Pessoa este importante Projeto de Lei”.

Para Dutra, há uma importância latente de se pensar e planejar o desenvolvimento do estado à luz do pensamento de Celso Furtado. “É algo extremamente necessário, pois ele foi um grande nome para Pombal, para a Paraíba, o Brasil e o mundo. Para Celso Furtado, só haverá desenvolvimento ali onde houver um projeto social subjacente. Esse é um pensamento atual e que deve ser referenciado quando pensarmos no futuro do nosso estado. Só existe desenvolvimento com a participação de todos”, destacou.

A deputada, que é membro do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba e presidente da Frente Parlamentar pelo Desenvolvimento do Semiárido, destacou, ainda, o olhar de Celso para o interior do estado da Paraíba. Na Assembleia Legislativa, essa é uma das suas principais bandeiras de luta. “Celso conheceu a crueza do inóspito Sertão Paraibano, vivendo na pele suas dificuldades, como a seca. Isso aguçou sua sensibilidade no desenvolvimento de pensamentos voltados ao Sertão. Esses pensamentos precisam ser considerados no desenvolvimento de políticas públicas eficazes para essa região, bem como para o estado. Será muito rico para todos um ano debruçado sobre a sua obra”, reiterou.

Sobre Celso Furtado

Nascido em Pombal, se estivesse vivo, Celso Furtado completaria 100 anos em 26 de julho de 2020. Celso Monteiro Furtado foi um economista brasileiro e um dos mais destacados intelectuais do país ao longo do século XX. Suas ideias sobre o desenvolvimento econômico e o subdesenvolvimento enfatizavam o papel do Estado na economia, com a adoção de um modelo de desenvolvimento econômico de corte pré-keynesiano.

Celso Furtado foi doutor em economia da Universidade de Paris-Sorbonne em 1948. Integrou a Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), órgão das Nações Unidas, em 1949; foi diretor do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico em 1953; fundador da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, em 1959; foi nomeado o primeiro Ministro do Planejamento do Brasil, em 1962.

Em 1964, perdeu os direitos políticos devido ao Ato Institucional n° I, durante a ditadura. De 1964 a 1979, viveu no exterior, foi pesquisador graduado do Instituto de Estudos do Desenvolvimento da Universidade de Yale, foi professor efetivo de Economia do Desenvolvimento e Economia latino-americana na Faculdade de Direito e Ciências Econômicas da Sorbonne e também visitou diversos países em missão das Nações Unidas.

Celso também foi ministro da Cultura, durante os anos de 1986 a 1988. Em 2004, o economista morreu no Rio de Janeiro, devido a um ataque cardíaco.